fbpx

Concurso Nacional Unificado (CNU): inscrições abertas ainda!

Concurso Nacional Unificado (CNU)

O Concurso Nacional Unificado (CNU) anunciou a abertura de inscrições, oferecendo uma oportunidade imperdível para quem aspira a uma carreira no serviço público federal. Segundo o cronograma oficial, os candidatos têm até o dia 9 de fevereiro de 2024 para se inscreverem. Destaca-se a concessão de mais de 600 mil isenções da taxa de inscrição, evidenciando a alta demanda pelo concurso.

O CNU disponibilizou 8 editais, organizados em blocos temáticos, anunciando um total de 6.640 vagas para níveis médio, técnico e superior em várias áreas de atuação. Até agora, o concurso atraiu mais de 1,7 milhão de candidatos.

A execução do certame está sob a responsabilidade da Fundação Cesgranrio, mas as inscrições devem ser realizadas através da plataforma Gov.br. As taxas de inscrição são estipuladas entre R$ 60,00 e R$ 90,00.

Conhecido como o “Enem dos concursos”, o CNU realizará suas provas no dia 5 de maio de 2024, abrangendo 220 cidades nas cinco regiões do Brasil. As oportunidades são para atuação em 21 órgãos federais, com salários que podem chegar até R$ 22 mil.

Para mais informações detalhadas sobre o concurso CNU, consulte o índice a seguir:

Concurso Nacional Unificado: situação atual

Confira as atualizações mais recentes sobre o Concurso Nacional Unificado (CNU):

  • 8 de fevereiro de 2024: Ocorreu uma retificação no edital.
  • 2 de fevereiro de 2024: Anunciada a formação da comissão multidisciplinar, que será responsável por supervisionar a realização do concurso.
  • 26 de janeiro de 2024: Publicada uma retificação no edital que inclui modificações na descrição dos cargos, nas especialidades, na formação exigida, nas atividades atribuídas às especialidades e na remuneração.
  • 19 de janeiro de 2024: Nova retificação do edital, ajustando a remuneração para determinados cargos e fazendo pequenas alterações na distribuição de algumas vagas entre os órgãos. Acesse a retificação aqui.
  • 19 de janeiro de 2024: Abertura do período de inscrições.
  • 10 de janeiro de 2024: Publicação do edital do CNU.
  • 24 de novembro de 2023: A Fundação Cesgranrio foi selecionada para organizar o concurso, com um contrato válido até 30 de maio de 2025.
  • 20 de novembro de 2023: Publicação da comissão de governança.
  • 5 de outubro de 2023: Divulgação do regulamento.
  • 29 de setembro de 2023: Um decreto presidencial revelou detalhes sobre a execução do concurso e a participação de comissões, comitês e grupos técnicos.

Este concurso marca a primeira iniciativa de unificação de concursos na esfera federal, destacando-se pela adesão voluntária dos órgãos participantes.

De acordo com o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), 21 órgãos federais aderiram à proposta de um edital unificado, o que representa 73% de adesão.

Além disso, o edital do CNU estabelece que o banco de candidatos aprovados em lista de espera poderá ser utilizado para futuras contratações temporárias.

Concurso Nacional Unificado CNU: cronograma

Datas do CNUCronograma CNU
10/01/2024publicação do edital
19/01 a 09/02/2024período para inscrições
até 26/01/2024prazo de pedido de isenção da taxa de inscrição
25/04/2024cartão de confirmação de inscrição
05/05/2024aplicação das provas objetivas e discursivas
07/05/2024gabarito preliminar das provas objetivas
21/06/2024notas finais das provas objetivas e nota preliminar da discursiva
01/07/2024envio de títulos para análise
30/07/2024divulgação dos resultados finais
05/08/2024Convocação para posse e cursos de formação

O que é o CNU (Concurso Nacional Unificado)?

O CNU (Concurso Nacional Unificado) é como um grande concurso que junta várias vagas de diferentes órgãos do governo federal em um só processo de seleção. É uma nova forma de fazer concursos públicos no Brasil, tornando tudo mais simples tanto para quem quer entrar no serviço público quanto para os próprios órgãos governamentais.

Basicamente, ao invés de ter que prestar vários concursos separados para trabalhar em diferentes partes do governo, com o CNU você faz uma única prova e pode concorrer a várias vagas em diferentes lugares. Isso economiza tempo e dinheiro tanto para os candidatos quanto para o governo.

O CNU também ajuda a garantir que todos tenham as mesmas chances de serem escolhidos, pois as regras são iguais para todos os candidatos. E se você passar, mas não for chamado de imediato, seu nome fica em uma lista e pode ser chamado mais tarde para outras vagas que aparecerem, o que aumenta suas chances de conseguir um emprego público.

Em resumo, o CNU é uma maneira mais prática e justa de organizar concursos públicos, facilitando a vida de todo mundo e abrindo mais oportunidades para quem quer trabalhar para o governo.

Quais órgãos participam do Concurso Unificado CNU?

  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI);
  • Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO);
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC);
  • Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ);
  • Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL);
  • Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS);
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA);
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA);
  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP);
  • Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI);
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI);
  • Ministério da Saúde (MS);
  • Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP);
  • Ministério do Trabalho e Emprego (MTE);
  • Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC);
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE);
  • Ministério da Educação (MEC);
  • Ministério dos Direitos Humanos (MDHC);
  • Advocacia-Geral da União (AGU);
  • Ministério dos Povos Indígenas (MPI);
  • Ministério da Cultura (MinC).

Quantas vagas tem o Concurso Nacional Unificado?

Oito editais foram lançados, cada um correspondendo a um diferente bloco temático.

No total, estão disponíveis 6.640 vagas, além da criação de um cadastro de reserva. Esse cadastro terá uma quantidade de vagas três vezes maior do que o número inicialmente oferecido em cada edital/área.

O CNU organizou as vagas disponíveis em oito categorias temáticas distintas.

  • Bloco 1 – Infraestrutura, Exatas e Engenharias – 727 vagas
  • Bloco 2 – Tecnologia, Dados, e Informação – 597 vagas
  • Bloco 3 – Ambiental, Agrário e Biológicas – 530 vagas
  • Bloco 4 – Trabalho e Saúde do Servidor – 971 vagas
  • Bloco 5- Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos – 1.016 vagas
  • Bloco 6 – Setores Econômicos e Regulação – 359 vagas
  • Bloco 7 – Gestão Governamental e Administração Pública – 1.748 vagas
  • Bloco 8 – Nível Intermediário – 692 vagas

É importante ressaltar que segundo as informações, a maior parte dos aprovados será lotado em Brasília, no Distrito Federal. 

Qual a distribuição dos cargos nos blocos temáticos?

Bloco 1: Infraestrutura, Exatas e Engenharias: 727 vagas

  • Advocacia Geral da União (AGU) – arquiteto: 5 vagas;
  • Advocacia Geral da União (AGU) – engenheiros: 18 vagas;
  • Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) – especialista em regulação de serviços públicos de energia: 10 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – especialista em indigenismo – Engenharia: 20 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – especialista em indigenismo – Arquitetura: 1 vaga;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – analista de gestão e infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (para as especialidades de Arquitetura, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Geoprocessamento): 13 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – tecnologista em informações geográficas e estatísticas (para as especialidades de Geoprocessamento, Engenharia de produção, gestão em pesquisa, cartografia e geodésia): 120 vagas;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – analista em Reforma e Desenvolvimento Agrário – Engenharia: 128 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – analista em ciência e tecnologia – Engenharia Elétrica ou Eletrônica: 2 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – analista em ciência e tecnologia – Engenharia: 51 vagas;
  • Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) – analista de infraestrutura (AIE) nas áreas de Engenharia e Arquitetura: 270 vagas;
  • Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) – arquiteto: 14 vagas;
  • Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) – engenheiro: 68 vagas;
  • Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) – especialista em políticas públicas e gestão governamental (EPPGG): 5 vagas;
  • Ministério da Saúde (MS) – tecnologista – Engenharia Civil ou Arquitetura: 2 vagas.

Bloco 2: Tecnologia, Dados e Informação: 597 vagas

  • Advocacia Geral da União (AGU) – estatístico: 7 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – especialista em indigenismo – Estatística: 1 vaga;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – analista de planejamento, gestão e infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (para as especialidades de Desenvolvimento e Tecnologia da Informação; Redes e telecomunicações; infraestrutura e suporte de Tecnologia da Informação): 70 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas – estatística: 4 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – tecnologista em informações geográficas e estatísticas (para as especialidades de métodos quantitativos; ciência de dados; web design e produção gráfica; estatística): 48 vagas;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – analista administrativo – Tecnologia da Informação: 6 vagas;
  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) – pesquisador-tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais: 20 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – analista em ciência e tecnologia – Tecnologia da Informação: 20 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – analista em ciência e tecnologia – Tecnologia da Informação: 11 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – analista em ciência e tecnologia – Ciências de Dados: 8 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – analista em ciência e tecnologia – Políticas Públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação: 17 vagas.
  • Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) – analista em Tecnologia da Informação (ATI): 300 vagas;
  • Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) – analista técnico de políticas sociais (ATPS) – Tecnologia da Informação: 20 vagas;
  • Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) – especialista em políticas públicas e gestão governamental: 15 vagas;
  • Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) – estatístico: 12 vagas;
  • Ministério da Saúde (MS) – tecnologista – Tecnologia da Informação: 32 vagas;
  • Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc): analista administrativo – Tecnologia da informação: 6 vagas.

Bloco 3: Ambiental, Agrário e Biológicas: 530 vagas

  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – especialista em indigenismo – Engenharia Agronômica: 31 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – especialista em indigenismo – Engenharia Florestal: 2 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – especialista em indigenismo – análise pecuária: 4 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas – Geografia: 2 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – tecnologista em informações geográficas e estatísticas (para as especialidades de Análise florestal; análise agrícola e pecuária; análise ambiental; Biologia; Geografia): 27 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – auditor-fiscal federal agropecuário – Engenheiro Agrônomo (com registro no Conselho de Classe): 116 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – auditor-fiscal federal agropecuário – Médico Veterinário (com registro no Conselho de Classe): 55 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – auditor-fiscal federal agropecuário – Químico (com registro no Conselho de Classe): 12 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – auditor-fiscal federal agropecuário – Farmácia: 11 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – auditor-fiscal federal agropecuário – Zootecnista (com registro no Conselho de Classe): 6 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – tecnologista – Meteorologista ou Ciências
  • Atmosféricas: 40 vagas.

Bloco 4: Trabalho e Saúde do Servidor: 971 vagas

  • Advocacia Geral da União (AGU) – médico: 3 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI) – psicólogo: 10 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI) – especialista em indigenismo – Psicologia: 6 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI) – analista técnico de políticas sociais (ATPS): 20 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI) – especialistas em políticas públicas e gestão governamental (EPPGG): 10 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – médico: 20 vagas;
  • Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – psicólogo: 2 vagas;
  • Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – auditor-fiscal do trabalho (AFT): 900 vagas.

Bloco 5: Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos: 1.016 vagas

  • Advocacia Geral da União (AGU): técnico em assuntos educacionais – Pedagogia: 20 vagas;
  • Advocacia Geral da União (AGU): técnico em assuntos educacionais – Indigenismo: 152 vagas;
  • Advocacia Geral da União (AGU): técnico em assuntos educacionais – Antropologia: 19 vagas.
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI) – especialista em indigenismo – Assistente Social: 21 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI) – especialista em indigenismo – Sociologia: 12 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI) – especialista em indigenismo – Pedagogia: 2 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – analista de planejamento, gestão e
  • infraestrutura em informações geográficas e estatísticas – Psicopedagogia: 1 vaga;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – pesquisador em informações geográficas e estatísticas – Demografia: 2 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – tecnologista em informações geográficas e estatísticas – Demografia: 1 vaga;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – analista em reforma e desenvolvimento agrário – Antropologia: 58 vagas;
  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP): Pesquisador-Tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais: 10 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Ciências Humanas, Saúde e/ou Sociais Aplicadas: 13 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Políticas Públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação: 8 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Analista Técnico Administrativo – História: 8 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Analista Técnico de Políticas Sociais – ATPS (MGI, MJSP, MDHC, MEC): 460 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG): 20 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Técnico em Assuntos Educacionais – Pedagogia: 2 vagas;
  • Ministério da Saúde (MS) – Tecnologista – Área da saúde: 66 vagas;
  • Ministério da Saúde (MS) – Tecnologista – Fomento do Complexo Econômico-
  • Industrial da Saúde: 15 vagas;
  • Ministério da Saúde (MS) – Tecnologista – Farmácia: 25 vagas;
  • Ministério da Saúde (MS) – Tecnologista – Área da saúde: 71 vagas;
  • Ministério dos Povos Indígenas (MPI) – Analista Técnico Administrativo – Qualquer área de conhecimento: 30 vagas.

Bloco 6: Setores Econômicos e Regulação: 359 vagas

  • Advocacia Geral da União (AGU) – economista: 35 vagas;
  • Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) – especialista em regulação de serviços públicos de energia – qualquer área de conhecimento: 30 vagas;
  • Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) – Especialista em Regulação de Saúde
  • Suplementar – qualquer área de conhecimento: 35 vagas;
  • Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) – Especialista em Regulação de Serviços de Transportes Aquaviários – qualquer área de conhecimento: 30 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – Especialista em Indigenismo – Economia: 24 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Analista de Planejamento, Gestão e
  • Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas – Relações Internacionais: 3 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas – Economia: 29 vagas;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – Analista em Reforma e Desenvolvimento Agrário – Economia: 5 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Ciências Humanas e Sociais Aplicadas: 11 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Economista: 27 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG) – Qualquer área de conhecimento: 15 vagas;
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) – Analista de Comércio Exterior (ACE) – Qualquer área de conhecimento: 50 vagas;
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) – Economista: 10 vagas;
  • Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO) – Economista: 15 vagas;
  • Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc): Especialista em Previdência Complementar – Qualquer área de conhecimento: 25 vagas.

Bloco 7: Gestão Governamental e Administração Pública: 1.748 vagas

  • Advocacia Geral da União (AGU) – Administrador: 154 vagas;
  • Advocacia Geral da União (AGU) – Analista Técnico Administrativo – Analista Técnico Administrativo: 90 vagas;
  • Advocacia Geral da União (AGU) – Arquivista: 2 vagas;
  • Advocacia Geral da União (AGU) – Contador: 47 vagas;
  • Advocacia Geral da União (AGU) – Técnico em Comunicação Social: 9 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Analista de Planejamento, Gestão e
  • Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas – Ciências contábeis e gestão de
  • pesquisa: 26 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Analista de Planejamento, Gestão e
  • Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas – Planejamento, Orçamento e gestão administrativa, auditoria e corregedoria: 152 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Analista de Planejamento, Gestão e
  • Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas – Letras (português-inglês): 4 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Analista de Planejamento, Gestão e
  • Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas – Educação corporativa e
  • administração escolar: 6 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas – Planejamento e gestão técnica, Planejamento e gestão
  • administrativa: 41 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas – Arquivologia: 2 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas – Biblioteconomia: 4 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas – Comunicação social: 28 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas – História: 2 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas – Produção audiovisual e publicidade e propaganda: 10 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – Especialista em Indigenismo – Administração: 26 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – Especialista em Indigenismo – Arquivologia: 1 vaga;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – Especialista em Indigenismo – Biblioteconomia: 6 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – Especialista em Indigenismo – Comunicação Social: 10 vagas;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – Analista Administrativo – Qualquer área de conhecimento: 102 vagas;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – Analista Administrativo – Contabilidade: 21 vagas;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – Analista Administrativo – Comunicação Social: 8 vagas;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – Analista em Reforma e Desenvolvimento Agrário – Qualquer área de conhecimento: 238 vagas;
  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) – Pesquisador; Tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais – Qualquer área de conhecimento: 20 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Qualquer área de conhecimento: 106 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Biblioteconomia: 5 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Arquivologia: 4 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Contabilidade: 5 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Comunicação Social: 15 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Analista em Ciência e Tecnologia – Políticas Públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação: 14 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – Analista em Ciência e Tecnologia – Qualquer área de conhecimento: 18 vagas;
  • Ministério da Cultura (MinC) – Analista Técnico-Administrativo – Qualquer área de conhecimento: 50 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Bibliotecário: 4 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Contador: 5 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG) – Qualquer área de conhecimento: 80 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) – Técnico em Comunicação Social: 10 vagas;
  • Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) – Analista Técnico Administrativo – Qualquer área de conhecimento: 100 vagas;
  • Ministério da Saúde (MS) – Tecnologista – Administração, Contabilidade,
  • Economia ou Estatística: 9 vagas;
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) – Analista Técnico-Administrativo – Qualquer área de conhecimento: 50 vagas;
  • Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO) – Analista Técnico-Administrativo – Qualquer área de conhecimento: 45 vagas;
  • Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) – Analista Administrativo – Qualquer área de conhecimento: 9 vagas.

Bloco 8: Nível Intermediário: 692 vagas

  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas – Nível médio: 300 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) – Técnico em Indigenismo – Nível médio: 152 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – Agente de atividades agropecuárias – Curso Técnico Agrícola com registro Conselho de Classe: 100 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – Agente de inspeção sanitária e industrial de
  • produtos de origem animal – Curso Técnico Agrícola com registro Conselho de Classe – 100 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) – Técnico de laboratório – Curso Técnico em Biotecnologia, Análise Clínicas, Metrologia, Química, Agroindústira, Alimentos, Farmácia, Viticultura e Enologia, com registro em Conselho de Classe: 40 vagas.

Concurso Público Nacional Unificado terá cotas?

Em linha com o objetivo de tornar o acesso ao serviço público mais inclusivo, a ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, anunciou que o novo concurso unificado, conhecido como CPNU, adotará a Lei de Cotas. Isso significa que 20% das vagas serão destinadas especificamente a candidatos negros.

Durante uma apresentação no dia 29 de setembro, a ministra Esther Dweck já havia adiantado que a aplicação das cotas ocorreria por cargo, em vez de ser distribuída por bloco temático.

Conquiste a aprovação: Curso preparatório para concurso público com suporte personalizado!

Com a divulgação oficial do edital, confirma-se a alocação de 20% das vagas para candidatos negros e 5% para pessoas com deficiência.

Além disso, destaca-se que 30% das posições disponibilizadas pela Funai serão exclusivas para candidatos indígenas.

Qual o valor da taxa de inscrição do concurso CNU?

Para concluir o processo de inscrição, é necessário que o candidato emita a Guia de Recolhimento da União (GRU) e efetue o pagamento correspondente, que pode ser de R$60 para candidatos de nível médio e de R$90 para aqueles de nível superior.

Candidatos nas seguintes condições podem requerer isenção da taxa de inscrição:

  • Estar cadastrado no Cadastro Único (CadÚnico);
  • Ser doador de medula óssea;
  • Ter sido bolsista do ProUni;
  • Ter sido financiado pelo FIES.

O período para solicitação de isenção da taxa de inscrição estará aberto do dia 19 ao dia 26 de janeiro.

Como serão as provas do concurso CNU?

O Processo Seletivo Nacional Unificado incluirá as seguintes fases:

  • Avaliações objetivas e discursivas;
  • Perícia médica para análise biopsicossocial;
  • Verificação da autodeclaração para candidatos que concorrem às vagas destinadas a negros;
  • Análise documental adicional para candidatos concorrendo às vagas reservadas para indígenas.

As avaliações objetivas e discursivas estão programadas para o dia 5 de maio, ocorrendo em dois períodos distintos:

Período da manhã (duração de 2h30):

  • Para candidatos de nível médio: avaliações objetivas (20 questões) e uma redação;
  • Para candidatos de nível superior: avaliações objetivas de Conhecimentos Gerais (20 questões) e uma avaliação discursiva focada no Conhecimento Específico do bloco temático.

Período da tarde (duração de 3h30):

  • Para candidatos de nível médio: avaliações objetivas (40 questões);
  • Para candidatos de nível superior: avaliações objetivas de Conhecimentos Específicos (50 questões).

O que será cobrado nas provas do concurso CNU? 

O Concurso Público Nacional Unificado estrutura as questões das provas objetivas de acordo com o tema de cada bloco.

Conquiste sua aprovação!

Para os cargos de nível superior, as questões abordarão Conhecimentos Gerais, englobando áreas como:

  • Políticas Públicas
  • Desafios do Estado de Direito: Democracia e Cidadania
  • Ética e Integridade
  • Diversidade e Inclusão na Sociedade
  • Administração Pública Federal
  • Finanças Públicas

Nos blocos de nível médio, as questões envolverão disciplinas como:

  • Língua Portuguesa
  • Direito Constitucional
  • Direito Administrativo
  • Matemática
  • Realidade Brasileira

As áreas de Conhecimentos Específicos que serão avaliadas no CNU são:

Bloco 1:

  • Gestão Governamental e Governança Pública
  • Políticas Públicas
  • Gestão Ambiental e Tecnológica, Sustentabilidade e Energia
  • Planejamento e Gestão de Obras, Políticas Públicas de Infraestrutura e Acessibilidade
  • Engenharia Cartográfica e Geoprocessamento

Bloco 2:

  • Gestão Governamental e Governança Pública
  • Políticas Públicas
  • Gerência e Suporte da Tecnologia da Informação
  • Desenvolvimento de Software
  • Apoio à Decisão, Inteligência Artificial e Métodos Quantitativos

Bloco 3:

  • Gestão Governamental e Governança Pública
  • Políticas Públicas
  • Caracterização da Paisagem do Meio Rural
  • Práticas de Produção Agropecuária no Meio Rural
  • Desenvolvimento Sustentável no Meio Rural

Bloco 4:

  • Gestão Governamental e Governança Pública
  • Políticas Públicas
  • Sociologia e Psicologia Aplicadas ao Trabalho
  • Segurança e Saúde do Trabalhador
  • Direito do Trabalho

Bloco 5:

  • Gestão Governamental e Governança Pública
  • Políticas Públicas em Educação, Ciência e Tecnologia e Justiça
  • Políticas Públicas em Saúde e Desenvolvimento Social
  • Direitos Humanos, dos Povos Originários e das Populações Tradicionais
  • Pesquisa e Avaliação

Bloco 6:

  • Gestão Governamental e Governança Pública
  • Políticas Públicas e Análise de Dados
  • Economia, Economia Solidária e Contexto Internacional
  • Orçamento Público, Contabilidade e Regulação
  • Inglês

Bloco 7:

  • Gestão Governamental e Governança Pública: Estratégia, Pessoas, Projetos e Processos
  • Gestão Governamental e Governança Pública: Riscos, Inovação, Participação, Logística e Patrimônio
  • Políticas Públicas e Noções de Estatística
  • Administração Financeira e Orçamentária, Contabilidade Pública e Compras na Administração Pública
  • Comunicação, Gestão Documental, Transparência e Proteção de Dados

Quais cidades terão provas do Concurso Nacional Unificado?

A provas serão aplicadas em 220 cidades de todo o país, abrangendo as cinco regiões.

Região Norte

Acre

Cruzeiro do Sul;

Rio Branco.

Amazonas

Coari;

Itacoatiara;

Lábrea;

Manaus;

Manicoré;

Parintins;

São Gabriel da Cachoeira;

Tabatinga; e

Tefé.

Amapá

Laranjal do Jari;

Macapá; e

Oiapoque.

Pará

Altamira;

Ananindeua;

Belém;

Braganca;

Breves;

Cametá;

Itaituba;

Marabá;

Monte Alegre;

Oriximiná;

Paragominas;

Parauapebas;

Redenção;

Santana do Araguaia;

Santarém;

São Felix do Xingu; e

Tucuruí.

Rondônia

Ariquemes;

Ji Paraná;

Porto Velho; e

Vilhena.

Roraima

Boa Vista; e

Rorainópolis.

Tocantins

Araguaína;

Gurupi; e

Palmas.

Região Nordeste

Alagoas

Arapiraca; e

Maceió.

Bahia

Barreiras;

Bom Jesus da Lapa;

Brumado;

Camaçari;

Eunápolis;

Feira de Santana;

Guanambi;

Ilhéus;

Irecê;

Itaberaba;

Jacobina;

Jequié;

Lauro de Freitas;

Paulo Afonso;

Ribeira do Pombal;

Salvador;

Teixeira de Freitas; e

Vitoria da Conquista.

Ceará

Caucaia;

Crateús;

Fortaleza;

Iguatu;

Juazeiro do Norte;

Maracanaú;

Quixadá; e

Sobral.

Maranhão

Bacabal;

Balsas;

Caxias;

Chapadinha;

Imperatriz;

Pinheiro;

Presidente Dutra;

Santa Inês; e

São Luís.

Paraíba

Campina Grande;

João Pessoa;

Patos; e

Sousa.

Pernambuco

Caruaru;

Garanhuns;

Jaboatão dos Guararapes;

Olinda;

Petrolina;

Recife; e

Serra Talhada.

Piauí

Bom Jesus;

Corrente;

Floriano;

Parnaíba;

Picos;

São Raimundo Nonato; e

Teresina.

Rio Grande do Norte

Caicó;

Mossoró;

Natal; e

Parnamirim.

Sergipe

Aracaju; e

Itabaiana.

Região Centro Oeste

Distrito Federal

Brasília.

Goiás

Aparecida de Goiânia;

Catalão;

Goianésia;

Goiânia;

Iporá;

Itumbiara;

Mineiros;

Porangatu; e

Rio Verde.

Mato Grosso do Sul

Campo Grande;

Corumbá;

Dourados; e

Três Lagoas.

Mato Grosso

Alta Floresta;

Barra do Garças;

Cáceres;

Cuiabá;

Rondonópolis;

Sinop;

Tangara da Serra; e

Várzea Grande.

Região Sudeste

Espírito Santo

Cachoeiro de Itapemirim;

Colatina;

São Mateus;

Serra;

Vila Velha; e

Vitória.

Minas Gerais

Almenara, Araçuaí;

Araxá;

Belo Horizonte;

Betim;

Contagem;

Curvelo;

Diamantina;

Divinópolis;

Governador Valadares;

Ipatinga;

Itajubá;

Ituiutaba;

Janaúba;

Januária;

Juiz de Fora;

Lavras;

Montes Claros;

Muriaé;

Paracatu;

Passos;

Patos de Minas;

Pirapora;

Teófilo Otoni;

Uberaba; e

Uberlândia.

Rio de Janeiro

Belford Roxo;

Cabo Frio;

Campos dos Goytacazes;

Duque de Caxias;

Niterói;

Nova Iguaçu;

Petrópolis;

Rio de Janeiro;

São Gonçalo;

São João de Meriti; e

Volta Redonda.

São Paulo

Araçatuba;

Bauru;

Caçapava;

Campinas;

Guarulhos;

Hortolândia;

Itapeva;

Jacareí;

Marilia;

Mauá;

Mogi das Cruzes;

Osasco;

Paulínia;

Piracicaba;

Presidente Prudente;

Ribeirão Preto;

Santo André;

Santos;

São Bernardo do Campo;

São Caetano do Sul;

São José do Rio Preto;

São José dos Campos;

São Paulo;

Sorocaba;

Taboão da Serra;

Valinhos; e

Vinhedo.

Região Sul

Paraná

Cascavel;

Curitiba;

Guarapuava;

Londrina;

Maringá;

Paranaguá;

Ponta Grossa;

São José dos Pinhais; e

Umuarama.

Rio Grande do Sul

Bagé;

Caxias do Sul;

Farroupilha;

Passo Fundo;

Pelotas;

Porto Alegre;

Santa Cruz do Sul;

Santa Maria, Santo;

Ângelo; e

Uruguaiana.

Santa Catarina

Blumenau;

Caçador;

Chapeco;

Criciúma;

Florianópolis;

Joinville;

Lages; e

São José.

Concurso Nacional Unificado: classificação

De acordo com o edital do CNU (Concurso Nacional Unificado), para resolver situações de empate na classificação final, os seguintes critérios serão aplicados:

Para os blocos 1 a 7, a ordem para desempate será:

  1. Candidatos com idade igual ou superior a 60 anos;
  2. Maior pontuação na prova de conhecimentos específicos;
  3. Maior pontuação na prova de conhecimentos gerais;
  4. Candidatos que tenham atuado como jurados;
  5. Candidatos que tenham realizado serviço eleitoral voluntário;
  6. Candidatos mais velhos.

Para o bloco 8, os critérios de desempate seguem a ordem:

  1. Candidatos com idade igual ou superior a 60 anos;
  2. Maior pontuação em língua portuguesa;
  3. Maior pontuação em realidade brasileira;
  4. Maior pontuação em matemática;
  5. Candidatos que tenham atuado como jurados;
  6. Candidatos que tenham realizado serviço eleitoral voluntário;
  7. Candidatos mais velhos.

Qual o estilo da banca Fundação Cesgranrio?

A Fundação Cesgranrio é reconhecida por sua experiência na organização de concursos públicos tanto federais quanto estaduais. Entre os processos seletivos de destaque sob sua gestão estão os concursos da Caixa Econômica Federal e da Petrobrás.

Sua reputação se baseia na elaboração de exames de dificuldade moderada, caracterizados por questões concisas e diretas, assegurando a abordagem de todos os tópicos previstos no edital.

Perguntas Frequentes!

O que é um concurso unificado?

Um concurso unificado é um processo seletivo que combina diversas vagas de diferentes órgãos ou entidades em um único edital, permitindo que os candidatos concorram a várias posições em diversas áreas ou especialidades através de uma única inscrição e processo de seleção.

Quando vai ser o concurso unificado?

O Concurso Nacional Unificado (CNU) está programado para ter suas provas aplicadas no dia 5 de maio de 2024.

O que cai na prova do unificado?

Na prova do CNU, os candidatos de nível superior enfrentarão questões de Conhecimentos Gerais, abrangendo áreas como Políticas Públicas, Desafios do Estado de Direito, Ética e Integridade, Diversidade e Inclusão, Administração Pública Federal e Finanças Públicas. Para os de nível médio, as matérias incluem Língua Portuguesa, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Matemática e Realidade Brasileira. Além disso, haverá questões de Conhecimentos Específicos, variando de acordo com o bloco temático ao qual o candidato se inscreveu.


Compartilhe esse conteúdo com um amigo? Fique aqui e veja mais conteúdos como este de hoje, certinho?

Concursos Abertos e Previstos

Receba as notícias mais importantes do mundo dos concurso públicos no seu celular gratuitamente! Clique no link abaixo e faça parte gratuitamente:

Telegram

Resumo do Concurso Nacional Unificado (CNU)

Resumo  Concurso Nacional Unificado
Concurso Nacional Unificado (CNU) CNU
Situação atual Edital Publicado
Banca organizadora Fundação Cesgranrio
Cargos administrativa, tecnologia da informação, saúde, fiscal e contabilidade
Escolaridade níveis médio, técnico e superior
Carreiras administrativa, tecnologia da informação, saúde, fiscal e contabilidade
Lotação Centro-Oeste, Sul, Norte, Nordeste e Sudeste
Número de vagas 6.640 vagas
Remuneração até R$ 22 mil
Inscrições 19/01/2024 a 09/02/2024
Taxa de inscrição R$ 60,00 a R$ 90,00
Data da prova objetiva 05/05/2024
Clique aqui para ver o último edital Concurso Nacional Unificado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Boa Prova Gostaria de receber notificações sobre concursos e aulas gratuitas?
Já sei tudo
SIM, COM CERTEZA